sexta-feira, 10 de junho de 2011

Richard Dawkins: Quem projetou o projetista?


                                   [Para mais informações veja ''Objeções ateístas'' no Índice do Blog]


Em seu livro, ''Deus, um delírio'', Richard Dawkins, expôs o seguinte argumento contra a afirmação teísta de um Projetista para a complexa ordem do Universo:

''A tentação de atribuir um design [do Universo] a um designer é falsa, porque a hipótese do design imediatamente leva ao problema de quem projetou o projetista.'' (Dawkins, Deus, um delírio)

A afirmação de Dawkins é que nós não estamos justificados em inferir um designer como a melhor explicação para o design no Universo, porque um novo problema imediatamente aparece, que seria: ''Quem projetou o projetista?'' [1]

Se você disser: ''Há um projetista cósmico para a complexa ordem no Universo'', então, uma nova questão aparece: ''Quem projetou o projetista?'', e ele usa isso para dizer que, portanto, a hipótese de um projetista cósmico não é uma boa hipótese. Que essa é uma hipótese ruim ou falsa.

Parece-me que esse argumento é falso por duas razões:


• (1) Para reconhecer que uma explicação é a melhor, você não precisa ter uma explicação da explicação.

Esse é um ponto básico na Filosofia da Ciência. Por exemplo, se arqueólogos estivessem cavando na terra, e então eles acham objetos que estão esculpidos como formas de cabeça humana,  vasos de cerâmica ou machados pequenos e por aí vai..

Você consegue imaginar um dos arqueólogos dizendo: ''Maravilha, John! Veja que processo maravilhoso de sedimentação que formou esses objetos!'' É claro que não!

Eles iriam imediatamente reconhecer que esses são artefatos, produtos de projeto inteligente de algum povo desconhecido do passado. Ou seja, para reconhecer que design é a melhor explicação para esses artefatos, os arqueólogos não precisam ser capazes de explicar quem esse povo era, de onde eles vieram, qual é a sua origem e nada desse tipo.

Eles podem não ter explicação para esse povo desconhecido que produziu os artefatos, e é claro que esse objetos são melhor explicados não por metamorfose ou sedimentação, mas por design inteligente. Ou, novamente, suponham que astronautas achem no meio da Lua, um grupo de máquinas, que não foram deixadas lá por americanos ou cosmonautas russos. Qual seria a melhor explicação para essas máquinas?

Claramente, seria um tipo de inteligência extra-terrestre que deixou as máquinas ali. E você não precisa ter uma explicação de quem esses ET's são, ou de onde eles vieram, ou como conseguiram chegar ali, nem nada desse tipo para reconhecer que a melhor explicação para essas máquinas é projeto inteligente.

Para reconhecer que uma explicação é a melhor, você não precisa ter uma explicação da explicação.

• (2) Pedir uma explicação da explicação leva a um regresso infinito de explicações

Na verdade, quando você pensa nisto, você percebe que pedir tal coisa iria imediatemente levar a um regresso infinito de explicações. Você precisaria de uma explicação da explicação, mas, para reconhecer que essa é a melhor, você precisaria de uma explicação da explicação da explicação. E depois, uma explicação da explicação da explicação da explicação! E então, NADA poderia ser explicado! Porque levaria a um regresso infinito de explicações.

Então, esse princípio de que para reconhecer uma explicação como a melhor,  você precisa ter uma explicação da explicação destruiria a própria ciência! Esse é um princípio que é contraditório com a própria idéia de ciência (já que a ciência é uma busca por explicações), a qual o autor Dawkins adora.

Então, ironicamente, Dawkins enunciou um princípio, ou pressupôs um princípio aqui que é totalmente anti-científico e destruiria toda pesquisa científica, se feita seriamente.

Portanto, o argumento de Dawkins em seu livro, tentando escapar de um design para o Universo, é falho.

Conclusão

Como vimos, para reconhecer que um projeto inteligente é a melhor explicação para a ordem complexa do Universo, você não precisa ter uma explicação da explicação. Você pode não saber qual é a explicação para o projetista inteligente que produziu o Cosmo, mas isso, de maneira alguma, conta contra a credibilidade da hipótese de que a complexa ordem do Universo é melhor explicada por haver um design inteligente.

_______________
Referências

[1] Baseado na refutação de William Lane Craig ao livro ''Deus, um Delírio'', De Dawkins.

4 comentários:

  1. muito bom seu blog. É difícil encontrar algo com tão bom conteúdo. seguindo desde já... =D

    ResponderExcluir
  2. Resumindo não pense acredite.

    ResponderExcluir
  3. Nossa que blog legal, conteúdo bem organizado, estrutura legal!

    Ta de parabéns ;D

    Abraço.

    ResponderExcluir